Qui, 16 de Junho de 2011 20:09
Qualifique este item
(2 votos)

 

O CLUB RACKET é um Portal de Conteúdo em esportes de raquete.

O compromisso é informar sobre novidades, torneios, eventos que façam parte do universo das raquetes.

O objetivo:

- É divulgar através da internet as modalidades de raquete,

- Resgatar a história de algumas modalidades,

- Divulgar modalidades que são praticadas mas que são pouco conhecidas e até mesmo desconhecidas,

- Organizar o conteúdo de forma clara e de fácil compreensão num só local,

- Orientar o usuário para uma melhor prática da sua modalidade,

- Promover os locais de prática, 

- Divulgar torneios e eventos relacionados aos esportes,

- Unir as pessoas que praticam o mesmo esporte.

O CLUB RACKET é o meu clube é o seu clube.

HISTÓRIA

Meu primeiro desafio, por volta dos meus 7 anos de idade, foi enfrentar aquela grande e alta parede verde cortada por uma longa e contínua linha branca a 91 cm acima do chão: o PAREDÃO!

Foram algumas manhãs de sábado, as vezes ensolaradas outras nem tanto, com uma pequena raquete de madeira que começei a dar as minhas primeiras batidas (raquetadas), meus primeiros golpes.

Vivi a minha infância e adolescência frequentando as quadras de um Clube de campo próximo de São Paulo. Foram mais ou menos 20 anos jogando TÊNIS, sem grandes pretensões profissionais, vários torneios internos, alguns troféus e muitas histórias para contar.

Meu pai, este sim, se dedicou muito ao TÊNIS e graças a sua participação em torneios, conhecemos diversos clubes em São Paulo.

Ainda menina nas férias de julho enfrentei aquela, para mim, alta e longa mesa de pingue-pongue. Foram muitas tardes jogando "família" com os amigos.

O tempo passou o vestibular chegou e o curso de Educação Física foi inevitável e como não poderia ser diferente, frequentei as quadras de tênis do CEPEUSP participando dos torneios que a faculdade organizava.

Nas férias que sempre foram preenchidas por esportes, o FRESCOBOL era a raquete da vez.

Durante o curso de educação física tive a oportunidade de conhecer várias modalidades e o PADEL era praticado em uma Academia que para minha sorte ficava ao lado da universidade.

Depois um casal de amigos argentinos descobriram um outro local na região do Morumbi e lá praticamos um pouco mais deste esporte.

O mais incrível é que durante os 4 anos de USP só vi uma única vez e de relance o BADMINTON.

E pensar que na época em que cursei a faculdade (1989-1992) o BADMINTON era praticado no CEPEUSP por um grupo de alunos que mais tarde fui conhecer e que para a minha alegria hoje fazem parte das minhas amizades.

Somente depois de formada é que fui oficialmente apresentada ao BADMINTON pelo Zito, na época atual presidente da Federação Paulista de Badminton, que realizava uma clínica da modalidade entre os professores da escola na qual eu trabalhava (OEMAR).

Foi paixão a primeira vista e logo se tornou um hábito na minha vida.

Após praticar por quase 1 ano o BADMINTON de forma recreativa me federei pela ACENBO e iniciei a minha participação em torneios estaduais e nacionais.

Pela minha vivência em esportes de raquete tive uma rápida ascensão na modalidade, mas que quase sempre disputei com meninas na faixa etária de 13 a 18 anos.

Depois de quase 8 anos praticando o BADMINTON assiduamente sem deixar a peteca cair, jogando com uma raquete que pesa por volta de 90 gramas, resolvi matar as saudades das quadras de tênis, praticando o mini-tênis. 

Na época o meu namorado (Marco Antonio) que era esportista e já havia experimentado o badminton, resolveu comprar um conjunto de raquetes para a prática do mini-tênis, quando me acompanhava em uma etapa do estadual de Badminton, no Clube Hípica em Campinas.

Este clube tem várias quadras de tênis e uma delas é destInada à prática de mini-tênis, sendo assim, entre uma partida e outra de badminton, jogávamos o mini-tênis.

Neste clube também tive a oportunidade de ver praticantes do Tamboréu, que também tem quadras e material específico para à prática. 

Lecionei por 6 anos em uma escola particular, ministrando aulas de educação física para crianças do curso infantil e ensino fundamental I e II até que resolvi abrir em sociedade com dois amigos  (Eduardo Martinez e Marco Antonio) a empresa  Fast Play Eventos Esportivos com foco na divulgação de esportes de raquete. 

No início o BADMINTON era a prioridade e iniciamos grandes parcerias para a divulgação e desenvolvimento da modalidade.

A nossa empresa foi pioneira na organização e realização do Torneio Escolar e Universitário de Badminton que até então nunca tinham sido realizados.

Com a realização dos trabalhos foram surgindo novas modalidades e o SPEEDMINTON nos foi apresentado por um amigo (João Ganza).

Uma mistura de tênis, frescobol e badminton, o SPEEDMINTON se tornou uma grande diversão que pode ser praticada em diversos ambientes.

Pronto, resolvemos divulgar a modalidade no nosso litoral e capital. Conversando com um amigo de Campinas (Fabrício Javarez), que já conhecia o esporte, ele me deu dicas valiosas para praticar o SPEDMINTON no escuro. É isso mesmo, modalidade é tão adaptável aos diversos ambientes que também podemos praticá-la a noite, no escuro.

O BLACKMINTON é a versão noturna do SPEEDMINTON, coloca-se um dispositivo de neon na peteca e utilizando roupas brancas com a ajuda de uma iluminação com luzes negras, pode-se praticar a modalidade a noite.

Recentemente, por volta do início de 2007, conversando com um amigo (via net) que mora no Rio de Janeiro fiquei conhecendo o BEACH TENNIS que já era uma febre nas areias do Leblon.

Logo me interesei em conhecer mais esta modalidade de raquete e fui para Santos, litoral de São Paulo, praticar o esporte no Canal 5.

Em janeiro de 2009 em uma viagem à trabalho em Presidente Prudente, ficamos hospedados em um hotel na cidade que tinha uma quadra de SQUASH.

Resolvemos experimentar de forma bem lúdica utilizando as raquetes de speedminton.

Gostei e de volta a São Paulo fui fazer aulas. A princípio confesso que achei que fosse mais fácil, mas exige um raciocínio muito rápido para uma boa performace.

Agora, em 2011 o novo projeto é o RACKETLON, que nada mais é que um QUADRIATLO de raquetes:tênis de mesa, badminton, squash e tênis, disputado em stes de 21 pontos.

Eu e mais dois amigos estamos nos organizando para criar a FEDERAÇÃO PAULISTADE RACKETLON e divulgar mais esta modalidade no Brasil.

O mais importante de toda essa minha história e vivência em esportes de raquete é que com a prática esportiva fazemos amigos, verdadeiras amizades nascem em uma quadra, seja ela qual for.

A prática de esportes nos torna mais disciplinados, cuidamos mais da nossa saúde, aprendemos a cooperar, a superar nossos limites, nos tornamos mais solidários, desenvolvemos o auto-controle, a paciência.

Parabéns a todos os esportistas que no seu dia-a-dia praticam atividades físicas e tem um estilo de vida mais saudável.

Desejo a todos bons jogos.

Sandra Sorpreso